segunda-feira, 19 de julho de 2010

Assim não vale, Blogger!

Gente, escrevi um texto novo no perfil e o blogger não deixou eu publicar, pois era muito grande. Perdeu um pouco do sentido lá. Então pensei que seria bom publicar o texto na íntegra como postagem.

Em primeiro lugar, eu sou. Mas eu sou de um modo bem específico, bem particular. Eu sou entre livros, entre leituras, entre gentes. Eu sou sempre no limiar.




Eu não sou deste tempo, nasci na data errada, houve um engano ao me colocarem no mundo: foi tarde demais. Eu deveria ter vivido nos anos 60, 70, 80 e não agora. Apesar disso, eu gosto de ser agora e de ser assim um ser meio "retrô".


Se eu sou no tempo errado, eu sou no lugar certo. Apesar de ter anseios de grandes metrópoles e de praias desertas, eu sou no entremeio de tudo isso, sou em Pelotas, essa mistura bonita e úmida de grandes problemas e de grandes amenidades.


Eu sou com as pessoas certas. Já levei tabefes, sim, de amigos, de amores, de todos os lados. E ainda levo. Mas vale a pena estar aqui, vale a pena ter os amigos, os colegas e os familiares que eu tenho. Por eles, posso levar mil tabefes e pontapés e continuarei feliz.


Eu gosto de ser na Terra. É bom errar... e poder consertar depois... ou não também, sei lá.


Já é manjado alguém dizer que é livre. Não sou. Tenho que trancar a porta de casa quando entro, cuidar as esquinas quando ando pelas ruas à noite, desligar estrategicamente o celular nos domingos, sumir da Internet de tempos em tempos, essas coisas. Mas, de vez em quando, tenho asas. E ando, ando, voo, voo por aí. e ninguém me vê. Eu posso ser a famosa mosquinha. Isso se chama CRIATIVIDADE. E eu sou feliz por isso.


Estimulo minha criatividade todos os dias. Nem que seja saindo para caminhar sem rumo pela cidade e imaginar histórias urbanas. Tento estimular a criatividade alheia também. Gostaria muito que esse fosse o tal de legado que dizem termos de deixar para isso que vulgarmente chamam de humanidade. Por isso, tornei-me professora. Talvez eu consiga, talvez não, talvez eu nem mesma saiba o que é criatividade, mas o importante é que ando buscando. Ando sendo em busca disso.


Eu quero tudo que ainda não existiu, tudo que ainda não veio. EU QUERO O ANTES. EU SOU QUERENDO O ANTES. E isso basta.

12 comentários:

Teresa Cristina flordecaju disse...

Gostei de saber que às vezes sentes vontade de sumir por aí... esses são bem meus pensamentos!
Um belo blog!
Deixo meu carinho.

Anne M. Moor disse...

E eu gosto muito de você :-)))) Continua sendo...

Beijão
Anne

RaH disse...

Achei incrível.

E vi muuuuita coisa que temos em comum!
haha..

Também digo que nasci no tempo errado, mas "ao mesmo tempo", gosto de viver *esse agora.

Concordo plenamente que criatividade é tudo.
Conhecimento é nosso maior bem e o que de melhor podemos deixar para nossos filhos e netos... Pena que não seja tão valorizado hoje em dia!

Você diz que as vezes voa... Eu gostaria de voar.
Voar de verdade, sentir o vento no rosto, ver tudo pequenininho lá de cima, estar lado a lado de pássaros... Sensação de liberdade.

E as "bofetadas", os tombos, as feridas, os erros...
Bom, acho que eles nos ajudam a ser melhores. A buscar o melhor de nós.
Evoluir.

BeijO graaaande, querida!

Dizendo Algo disse...

Muito bom. Um dos melhores poemas que li nos últimos tempos.

Tear de Sentidos disse...

Janinha! Este blogger é muito bobo!
Lindo!!!!
Bjinho!
Tê!

janaina brum disse...

Oi, Teresa! Obrigada! Sê bem-vinda!

janaina brum disse...

Anne! Que saudade! Bjs

janaina brum disse...

Rah, acho que temos de nos conhecer pessoalmente!
Bjs

janaina brum disse...

"Dizendo Algo", obrigada!

janaina brum disse...

teresoca!!!!!!!!!!! Saudadesaudadesaudade

Flavio Ferrari disse...

Gostei ...
Já, eu não sei bem o que sou ... já me basta saber como estou.

Tear de Sentidos disse...

"Mas, de vez em quando, tenho asas. E ando, ando, voo, voo por aí. e ninguém me vê. Eu posso ser a famosa mosquinha. Isso se chama CRIATIVIDADE. E eu sou feliz por isso."

Se essa não és tu, minha linda? tu mesma sim!!!! Lindo!

Bjoca de saudade! Tê!