segunda-feira, 24 de maio de 2010

Tenho achado viver tão bonito.
Talvez porque ande, como nunca, perto da ideia da morte.
(Caio Fernando Abreu, Cartas)

Nenhum comentário: