quarta-feira, 7 de abril de 2010


Até mesmo por te
Querer bem
Te disse frases mortais

A palavra fere
A ferida da palavra
Palavra-fera
A te espreitar

Tantos livros a me esperar
E eu pensando estratégias
Pra te censurar

As noites
Caem como águas
Chuveiro dos tempos
Canções a nos molhar

Até mesmo por te
Usar para espiar os meus
Lamentos
Te cobri de raivas
E de tormentos

Não era vento, era um
Soprar sem mágoas
Era um cair sem quedas
Um enjôo sem vertigem

Era o tempo a me esperar

2 comentários:

Tear de Sentidos disse...

Ai, Janinha!!!! Tirando a foto _ "furiosa"! Urg! Rsrsr! _ que poema liiiindo!!!!!
Lindo!!!! Bj, Tê!

Janaina Brum disse...

Furiosa, eu???????? Pura impressão sua, cara Lindonésia!!!!!