segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Sobre livros e livreiros


Se é uma vontade tácita
que me leva às portas
da livraria
não sei


não sei se vou
comprar livros
ou pelo encanto das
prateleiras
sobrecarregadas 
de volumes e do 
encanto que me trazes


na ponta dos pés
quero o livro
mais inatingível
mais inalcançável
quero que venhas
me ajudar


este é um encontro
solitário
não há sombras
a me espreitar
não há relógios nas livrarias


vou esperar o vento
intentar um único momento
e, talvez,
entre livros e livreiros
me libertar

4 comentários:

Tear de Sentidos disse...

Oi, Janinha!!! Poema "novo"!!!!
Novo, lindo, mas diferente do que costumas escrever...!
Bjinho!!!!
Tê!

Janaina Brum disse...

Obrigada, amigona!
Será que é uma nova fase?
Heheh
Beijos mil!

Anne M. Moor disse...

Ler e escrever é fazer amor com as palavras, já dizia o Ziraldo...

Gostei da nova fase rsrsrsrs

Beijos
Anne

Janaina Brum disse...

Obrigada, Anne! Não sei se é uma nova fase, mas talvez sejam poemas mais calmos, só isso...
Beijo no cuore