sábado, 21 de novembro de 2009


Nada explica.
Afetos que surgem
em pleno alvoroço
de bares e sons e bebidas
me afagando.


Amigos que surgem
e de repente
tomam o lugar vazio
dos sentidos ainda esparsos.


Eles chegam no momento certo
há motivos, 
mas não os sei:
pressinto.


A poesia nos afaga,
faz emergir um sentimento
de cumplicidade
bem à vontade.
Só os poetas
e os loucos se
entendem.

Posso contar segredos
e ouvir o eco da minha voz
respondendo aos meus medos.
Fiz amigos nesta semana,
sobram motivos e
coincidências.


Não seria por acaso.
Felicidade é fato.







 Para a minha amiga Bia Araujo, grande "poetisa"

6 comentários:

Zisco disse...

Coisa mais linda essa loucura com tanta arte, né?

Estou voltando devagar, mas quando te leio não consigo parar.

Beijos guria!

Beatriz Araujo disse...

"Cada um de nós traz dentro de si a chama da felicidade. O que depende do outro não é a sua existência, mas a intensidade com que brilha"! (Beatriz Araujo)

Esta foi a chama que descobrimos juntas lá no bar. Tens toda razão, poeta...a felicidade é fato! E não por acaso, deste mais intensidade ao brilho da minha.

O poema é lindooooooooo!
Obrigada pelo carinho e pela luz que dás ao meu caminho.

Super beijo.
Bia

Janaina Brum disse...

Obrigada, amigo Zisco, seja novamente bem-vindo!
Beijos

Janaina Brum disse...

Bia, és uma pessoa especial! Me fazes muito bem! Te adoro, bjs, Jana

Tear de Sentidos disse...

"Só os poetas

e os loucos se

entendem."

Agora, sim, é a "Jana de volta"!!!
Liiiindo!
Bj, amada!!!
Tê!

Janaina Brum disse...

Tê, tens que conhecer a Bia! Ela é demais!
Beijo