sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Olhas para os lados
e não olhas o lado essencial
a te espreitar.
Sim,
talvez eu andasse a te rondar.

Não me vias e não me vês,
estou justamente atrás
do espelho,
justamente aquele que insististe
em quebrar.

Sim, aquele tango
que te faz lembrar
toca e nem desconfias
que eu estou a te rondar,
por entre as pedras,
por entre os prédios,
no menor pedido de silêncio,
já vi teus olhos,
não me enganas,
eu estou a te rondar
nos pesadelos,
nos sentidos,
nos tatos e nos gostos.

Já passei da hora,
estou indo me arrumar.
Lembras do dia frio em
que falavas de temores?
Em que brilhavas como
um raio?
Sim, talvez eu estivesse a
te esperar
na frente do espelho
em que te reconhecias todo
dia.


A chuva?
Parou.
A fortaleza?
Ardeu.
O mundo?
Partiu.

Talvez, eu estivesse a te rondar.

5 comentários:

A Palavra Mágica disse...

Janaina,

"Te mando beijos
Em outdoors
Pela avenida
Você sempre tão distraída,
Passa e não vê..." (Paralamas)

Beijos!
Alcides

Janaina Brum disse...

"Fico acordado noites inteiras
os dias parecem não ter mais fim..."
Adequado aos nossos hábitos noturnos, não, amigo?
Beijos

teresinha brandão disse...

Ai, eu não tenho uns versos assim bonitos para postar aqui!
Os teus são bonitos, são lindos!!! Como estes!
Bjocas estaladas!

vittorio disse...

Encantador, vou buscar nas minhas paginas escritas um poema , "Imagem", depois te o mando...
Um belissimo encerramento de inspirações...
beijos
vittorio

Janaina Brum disse...

Vou esperar o poema, Vittorio!
Beijos