terça-feira, 27 de outubro de 2009

Mais poeminhas pretensamente pós-modernos

não há nada mais urbano
que a noitinha
na cidade:
polaróides infinitas
de um infinito
sem lembranças

amanhã retorna

*************


tenho que acabar
com minhas manias concretistas
e construir um muro de
concreto entre
os meus dois mundos


pluralidade assusta


************


eu ando pelas ruas de
uma cidade infinita:
no infinito da cidade
me perco e me 
encontro


contradição transborda


************


caminhei contra o vento
e contra mim mesma:
por que será que insisto
em querer dobrar na mesma
esquina
se o caminho se desfez?


amor transcende

4 comentários:

vittorio disse...

Profundos pensares
distantes olhares
os mesmos lugares
distantes de nós
beijos

Janaina Brum disse...

pesares anteriores
avulsos olhares
em tantos lugares
tão perto de nós


Obrigada, Vittorio!!!

Anne M. Moor disse...

vidas anteriores
amigos olhares
fascinantes lugares
entre nós.

:-) :-) :-)

Beijos aos dois
Anne

vittorio disse...

Um dia ainda volto para essa terra maravilhosa.


Encantos os há em todos os lugares em todos os olhares e por todos os ares. Um Porto sempre Alegre, infinitas saudades.
beijos