quarta-feira, 3 de junho de 2009

Universo de conclusões precipitadas
me circunda.
Se o céu é azul
deusas e deuses e
anjos e anjas
são azuis também.
Se a página é branca
branco é também
meu verso.

Há pouco fiz uma
grande descoberta
(já me sondam para o
Nobel):
borboletas amarelas
são pequenas partículas
de poesia
rondam meus poemas.

Um dia, escreverei
um livro de borboletas
amarelas
deusas e deuses e
anjos e anjas
amarelos
e mais versos e
mais páginas
da cor das borboletas.

7 comentários:

Flavio Ferrari disse...

Vai ser duro encontrar borboletas para tanta poesia ...

Zisco disse...

Azul e amarelo, um contraste e tanto, sempre me agradou, vai ver que isso explica porque gosto tanto assim da tua poesia.

Bjs!

Janaina Brum disse...

Fala, FF! As borboletas estão aó para quem quiser vê-las, é só se esforçar um pouquinho!
Bjs

Janaina Brum disse...

Acidental, amigo Zisco! Busca no Google!
BEijos

Zisco disse...

Achei um blog Português, que está parado desde 2007, parece que era muito bom, mas vc é bem melhor.

Beijos!

http://74.125.47.132/search?q=cache:0U4_2J91zkEJ:oacidental.blogspot.com/+Acidental&cd=1&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br

A Palavra Mágica disse...

Janaina,

Ainda tenho o privilégio de ver algumas borboletas, vaga-lumes, ouvir grilos, cigarras e ver beija-flores. Azul é minha cor favorita. Gosto de livros e poesia.

Escrevi tudo isso só para dizer que essa poesia me completa.

Beijos!
Alcides

♫ En El Palacio De La Risa Y El Dolor ♪ ☆ disse...

Aunque no pueda traducirlos perfectamente, ni los traductores de internet me ayuden... Puedo ver lo lindo que escribis.. saludoss =)