quarta-feira, 10 de junho de 2009

Agora sofro de insônia.
E tenho a impressão
de que isso significa mais.
Além.

E quando durmo
sonho sonhos inusitados
com pessoas inusitadas
e me assalta
um carinho diurno
e infinito.

Saio na rua e procuro -
sonhos se parecem tanto
com premonições.

Saio na rua dispersa -
esperas se parecem muito
com eternidades.

Pessoas que eu via -
superfície -
todo dia
se tornam importantes
quero sabê-las
sentar e tomar um café.

Me assalta esse carinho
insone.
Vai além.

5 comentários:

Zisco disse...

Ainda vamos tomar um café juntos, tenho certeza disso!

Janaina Brum disse...

Hehehehe! Vamos, sim, Zisco!! No aeroporto (adoro cafés de aeroportos!!!)
Beijinhos

Flavio Ferrari disse...

Quando o inconsciente encontra o consciente, tudo pode acontecer.

Janaina disse...

Podemos ir da poesia à loucura(ou vice-versa), FF!

Teresinha Brandão disse...

Comigo esse sentimento xpresso no poema tb acontece... É realmente uma sesação estranha...
Bj!
Tê!