domingo, 19 de abril de 2009

Três poeminhas enquanto espero almoço amistoso e natureba


Queria carícia
e a poesia não deixa
paralisa todo intento
essa mania
de querer capturar
todo momento

________________

O céu cinzento
da praça
de verão
com flores
calor insuportável
faz descrer
inverno rigoroso
do sul
espero, escrevo
poesia me consola
espero amiga
para confissões ecológicas.
Na frente da teia.
Quem seria Ariadne?

_________________

Volta paranóia
de não assinar o nome
nos poemas.
Seriam meus?
Reinvento
e ponho a data.

7 comentários:

A Palavra Mágica disse...

Janaina!

Que bom te ver de volta!

Sempre passo por aqui e gosto muito de ler o que escreves.

Beijos!
Alcides

Anne M. Moor disse...

Welcome back! Gostei da 'trilogia' :-)

Beijos

teresinha brandão disse...

Pô, Janinha! Já estava quase me afogando num mar de lágrimas ... de tanta saudade!Eh, eh!
Bj!
Tê!

Flavio Ferrari disse...

Um trítico ..
Poemas nunca são nossos ...
São da vida.

Ricardo Kersting disse...

Três momentos diferentes e significativos. A única semelhança entre eles é a autora. Preciosidades reveladoras em seu conteúdo.
Excelente. Beijos

Janaina Brum disse...

Obrigada, amigo, pela recepção!! Ando meio atarefada, por isso não os tenho visitado! Abraços calorosos

Zisco disse...

Oi Guria,

Passando e te lendo, cada dia me encanto mais com tudo que vc escreve, bjs!