segunda-feira, 2 de março de 2009


Dois poemas "com o pensamento em Ana Cristina", como diria o Drummond
Por que demoraste tanto
a saudar teu pequeno público
diverso hostil?
Por que guardaste teus poemas
de nós
por tanto tempo?
Preciso de tempo para
me acostumar
com teus escritos secretos
guardados
discretos
seletos
preciso de tempo para te deglutir
inteira
**********************************************
Pouco a pouco
pé ante pé
tête à tête
preciso de ti
inteira
na palavra
que jogaste
no papel
prefiro a tua palavra
obscura
coisa
babel
torre
não há interpretação
que te supere
o sangue do discurso
escorre dentre tuas
folhas antigas
teus punhais
antigos e soltos

8 comentários:

Philip Rangel disse...

Parece aqueles poemas de idolos ne...hehehe

gosteii

teresinha brandao disse...

Este foi aquele poema que o Drummond fez para ela?
E como ela está linda nesta foto: enigmática!
BJ, Tê!

Jaquelyne disse...

Você e Ana são mulheres de verdade!!Sou apaixonada pelas palavras de vocês!!

Beijos, Jana!

teresinha brandão disse...

Jana ... eu não estava brincando ... Ri, ao telefone, mas foi exatamente isso que pensei ...
Depois falamos sobre isso!
Bj! Tê!

teresinha brandão disse...

Jana ... eu não estava brincando ... Ri, ao telefone, mas foi exatamente isso que pensei ...
Depois falamos sobre isso!
Bj! Tê!

Janaina Brum disse...

aI, tÊ, TU ME MATAS... IRÔNICA!!! OS POEMAS SÃO MEUS... BJS

Janaina Brum disse...

Jaque, obrigada por me comparar com a Ana C.! Não mereço...

teresinha brandão disse...

As duas têm algo em comum: são poetas ...!
Bjs, Tê!