domingo, 15 de fevereiro de 2009

olho muito tempo o corpo de um poema
até perder de vista o que não seja corpo
e sentir separado dentre os dentes
um filete de sangue
nas gengivas


Ana Cristina Cesar (In: Inéditos e Dispersos)

Nenhum comentário: