sexta-feira, 25 de abril de 2008


Não quero te falar de amor... não.

Não devo falar em amor,

Palavra tacitamente proibida.

Quero te propor um pacto

- Lancinante (eu gosto, sim, dos adjetivos) -

Não quero para mim a palavra,

Nem mesmo a censura cordial que ela impõe.

Quero-te a ti e os teus desejos,

Quero o teu olhar sem mais palavras,

Eu quero o teu pesar sem mais censuras,

Eu quero o teu corpo,

Sem mais clausuras,

Sem mais acordo.


Quero-te a ti e mais um pouco.


Jana