sábado, 26 de janeiro de 2008


Luzes acatam todo o senso da

Última noite.

Cárceres habitam

Átomos ainda errantes dos

Sentidos ácidos.

Espaço!

Saber que existem

Torres em todos os

Amores não é um

Holofote projetado ao

longo do

Exato, ao longo do

Caminho - razão

Kantiana que

Extrapola, que estranha,

Rara, escassa.

Agora, não há mais

Nomes escondidos

No discurso.

Atrás das portas,

Eu posso dizer

Que não há efeito de sentido

Que escape a qualquer

Analista,

Artimanha de linguagem,

Emaranhado de respostas

Que, no entanto,

Não me dão, meu amor,

A presença daquele

Que renunciou a todas as

Saudades.


Jana