domingo, 11 de março de 2007


Tarde cinzenta:
Escrevo
E perco-me na teia das significações.
Palavras claras em meio à sintaxe tortuosa.

Fumo
E distraio-me na imagem da fumaça.

Será que virias, se eu chamasse
E me tirarias, tonta, do papel?
Improvável.

Janaina Brum

5 comentários:

Prii disse...

Janaina!

Lindos... Adorei de verdade!

Parabéns!
São incríveis...

Sempre que tiveres mais alguns, podes me enviar o link que lerei com prazer... =]

BjO!

Cláudia disse...

Lindo mesmo Jana!
Show de bola!
bjão!

simbioze disse...

Olá, muito bom seu blog.
os textos e imagens são excelentes.
parabéns

Anônimo disse...

gostei muito dos teus textos, principalmente aqueles de metro livre e sem rima. O tipo de arte que gosto: tom acentuadamente lírico(o "eu" como tema)...

teresinha brandão disse...

É, Janinha ... Tens muito talento, viste?
Eu vi ... !
Tê!