segunda-feira, 12 de março de 2007


Na rua traversa,
Disperso o vento,
A chuva não sessa
No meu sonho isento.
Perdão não me peças!
Não quero lamentos!
A ira possessa
Vai no pensamento.
Promessas, promessas,
Aquele tormento.
E logo começas,
E logo eu tento.
Acabo com essas
A custo de intentos...
Mas amanhã...é,
Já é outro dia.

Nenhum comentário: