segunda-feira, 5 de março de 2007


EPÍGRAFE

Nada se faz à sombra de um destino.
Que ares nebulosos atirem-se sobre mim!
Que mares em conflito configurem a calma.
E que promessas não se cumpram.
Turbilhão de novidades.
Pequenas doses de Nirvana.

- Desafio –

Tarde chuvosa de verão...
Escreverei e terei febre.
Claro, Pessoa!
O que fazer com esta linguagem
Rudimentar
Que não descreve?

Não é à toa que o verso acaba assim.
Não é à toa que o mundo está assim.
Não é à toa.
Não ordenarei o caos.


Janaina Brum

4 comentários:

Daniela disse...

esta minha irmã...me comove com palavras de tamanha sensibilidade...
me fizeste chorar já...
te amo maninhaaaaaaa

Franciele disse...

concordo com a dani..em tudo.iiii..
da pra publicar + poemas???vamos logo, põem aqi..hehe

MARCELO disse...

Maninha sei do teu potencial e nunca duvidei disso e sei que é só uma questão de tempo para as pessoas descobrirem isso!!!E para o nome janaina cardoso brum ser comentado em todos cantos do mundo como a rainha da literatura ou da linguistica...li tudo que tu escreveu embora tu saibas que é bem dificil eu ler este tipo de coisas os teus textos eu vou sempre ler com muito gosto!!!te amo muito

Vanessa Xavier disse...

Meu Deus!!!! Pena que colocaste somente agora estes teus poemas na net. Se eu tivesse visto antes, serias minha autora escolhida para a monografia...Daí eu teria orientação com a própria, ao vivo e a cores, he,he,he. Uma coisa é certa: aposta em ti e segue em frente porque tens futuro guria...Bjus!